Não seja prisioneiro(a) da própria mente

Atualizado: 27 de abr.


Ter controle sobre a sua mente é essencial para viver bem e com qualidade.


Ouço um barulho na porta.

- Toc, toc.

- Quem bate?

- Sou eu, o pensamento intrusivo.

Sem muita vontade de receber este tipo de visita, abro a porta e acabo cedendo espaço para ele.


Esse é o dilema de quem convive com o Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). Pensamentos negativos, ameaçadores que surgem em sua mente a fim de te prejudicar, com a ideia de que se a pessoa não fizer o que ele quer, algo de ruim pode acontecer com o indivíduo ou com alguém mais próximo. A solução para que a pessoa se livre disso é repetir várias vezes movimentos ou atividades, como forma de "alívio" para o problema.


Isso acaba se tornando um tipo de ritual diário, cansativo e frustrante, atrapalhando a vida cotidiana da pessoa portadora desse desarranjo mental.


Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que aproximadamente 1 a 2% da população mundial apresenta Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC). De acordo com o laboratório norte-americano Pfizer, no Brasil, a cada 50 pessoas, 1 sofre de transtorno obsessivo compulsivo.


E você deve estar se perguntando, qual a causa desse transtorno?


Especialistas acreditam que pode haver relação com fatores genéticos ou psicológicos. Mas, ainda não existe nada comprovado cientificamente.


E qual a forma de tratamento?


Ainda não existe no mundo a cura para as doenças mentais. Pesquisadores estudam meios de como amenizar o sofrimento de quem vive com diversos distúrbios neurológicos.


Para o TOC, é indicado que procure um profissional em saúde mental, onde irá aplicar um tratamento a base de medicamentos, terapias comportamentais com foco na diminuição dos sintomas.


Atividades como lazer e exercícios físicos, auxiliam na liberação de seretonina, hormônio capaz de acalmar e dar a sensação de bem-estar no organismo. Ter boas relações sociais e criar uma rotina, ajudam a ocupar a mente proporcionando mais qualidade de vida. Mas não confunda mania com o TOC, uma coisa difere da outra.


É importante ressaltar que tudo isso é fruto da mente. Para os especialistas é preciso enfrentar os pensamentos intrusivos, mesmo que gere desconforto. A mente humana é muito complexa, precisamos saber que quem controla nosso ser somos nós mesmos. Enganar o cérebro através de ações psicossomáticas traz soluções para as tribulações vividas pelas pessoas portadoras dessa adversidade.


Se você sente essas características, não se aflita, procure um médico psiquiatra ou um neurologista e acabe com esse sofrimento.

No Instituto Maia e Machado, dispomos de profissionais renomados que podem ajudá-lo(a).


Esperamos ter contribuido com esse artigo. Um forte abraço e até a próxima.





Foto:

https://www.pexels.com/pt-br/@david-garrison-1128051


Referências:

https://www.doctoralia.com.br/perguntas-respostas/qual-e-a-real-porcentagem-de-pessoas-com-toc-especifico-passar-8-horas-em-baixo-do-chuveiro-para#:~:text=Segundo%20dados%20da%20Organiza%C3%A7%C3%A3o%20Mundial,Transtorno%20Obsessivo%20Compulsivo(TOC). Acessado em: 19/02/2022.

https://www.pfizer.com.br/sua-saude/sistema-nervoso-central/transtorno-obsessivo-compulsivo-toc. Acessado em 19/02/2022.






65 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Ser Pai